Posts com Tag ‘Terror’

The Walking Dead

Publicado: 23/11/2010 em Televisão
Tags:,

Como é bom ser despretensioso, permite que se realize grandes feitos sem se perder em egos inflados  e desejos megalomaniacos.

Vaza mano!!!

Num hospital do interior dos Estados Unidos, o policial Rick Grimes acorda do estado de coma em que se encontrava. Estranhando o abandono do local, Grimes logo descobre que há uma legião de zumbis perambulando ao seu redor, atacando todos os seres humanos que vêem. De alguma forma misteriosa, os mortos voltaram à vida e, agora, o mundo se vê assolado por seres descerebrados, cujo único interesse parece ser a vontade de saciar uma fome animalesca por carne humana.

The Walking Dead a série de zumbis exibida pelo canal norte americano AMC (exibida no Brasil pela FOX) é um sucessoa, de público e de crítica, tanto que a série prevista para somente seis episódios já teve seu contrato renovado para uma nova temporada, é um bom contrapeso para um público que se vê cercado por produções de vampiros digamos “moderninhos” voltadas para um público por demais adolescente e as já cansadas séries médicas ( a exceção talvez de House e sua eterna dúvida entre Lupus e doença auto-imune).

A série é baseada nos quadrinhos de Robert Kirkman, publicado pela Image em 2003 nos EUA (no Brasil você pode achar na HQM editora).

TWD é leve, sem enorme carga dramática e também não pretende ser um folhetim de terror semanal, com sustinhos tipo um morto vivo saltando do nada a todo momento na tela, longe disso retrata com uma “realidade” há muito tempo não vista o “real” comportamento de um zumbi: lento e descordenado, com um trabalho de  maquiagem excepcional.

Até agora (4º episódio) as histórias estão se desenvolvendo rápido, começo meio e fim, como em uma boa HQ, inclusive a busca de Grimes por sua familia que em qualquer outra série seria motivo para infindáveis desventuras, em TWD já foi solucionada. O foco é no dia a dia e sobrevivência das pessoas que restaram após um evento que além de alterar o mundo como era conhecido ainda coloca suas vidas constantemente em perigo, simples assim, mas muito bem executado.

Um elenco sem estrelas, provavelmente o rosto mais conhecido seja o da mãe de familia delicinha Sarah Waynes Calles, até porque a maioria dos personagens vai virar comida de zumbi mesmo. Os demais estão lá para entreter, correr, gritar e principalmente explodir cranios zumbis das mais variada formas possíveis, afinal apesar do público ser agraciado com muito mais é isso que se espera de série sobre mortos vivos.

Não é para seu bico zumbi

Anúncios

Após um dia de total relax nas águas do Atlântico sul entre mergulhos e cervejas, ao ler máterias da lista de favoritos me deparo com essa foto.

Tem que ser grande para fazer um lanchinho desses.

O tubarão da foto tem cerca de 3,4 metros, é um grande tubarão branco – sim o famoso monstro do clássico de Steven Spielberg – e aquele pedaço que está faltando é provavelmente a mordida outro tubarão branco, esse segundo especialistas com mais de 6 metros, considerando o tamanho da mordida.

O tubarão foi encontrado perto da costa da Australia, próximo a famosa praia de Surfes Paradise – felizmente para nós – e colocou em alerta as autoridades locais, banhistas e surfistas. Vale lembrar que os maiores Brancos seguramente documentados – não estou citando Yao Ming – tinham entre 6,4 e 7 metros, ou seja o possivel tubarão australiano é um dos gigantes da raça.

Mape vai passar a brincar somente na marola, onde o maior perigo são as bolinhas de frescobol.

Fora sexta feira 13!!!

Publicado: 13/11/2009 em Fotos, Humor, Sem noção
Tags:,

SORTE FINAL

Músicas para o domingo

Publicado: 01/11/2009 em Música
Tags:,

Especial Haloween

Backstreet Boys

Evanescence

Michael Jackson é claro

Soltando as bruxas

Publicado: 30/10/2009 em Opinião, Pensamento
Tags:,

Amanhã será comemorado o Halloween, ou como dizemos por aqui graças a uma tradução nada literal o “Dia das Bruxas”. O nome em inglês vem de All Hallow’s Eve, ou em uma tradução literal “vigilia de todos os santos”,  isso porque a noite de 31 de outubro precede o dia 1º de novembro (dããã), dia em que a Igreja Católica celebra todos seus santos e mártires, aqueles que sofreram todo tipo de perseguição por sua fé. Não confundir com o dia dos mortos (finados) 2 de novembro, feriado nacional aqui no Brasil

Então no século 8 D.C o dia de respeito aos martires católicos era uma data das mais importantes, e os preparativos para esta ganhavam contorno de festa em homenagem aos que já haviam ido “desta para a melhor”. Estes eram celebrados ou ridicularizados na noite que precedia o All Hallows Eve, com o passar o tempo a data incorporou outras caraterísticas, mas sempre mantendo a ligação com o mundo do além (mais informações no link lá em cima).

Por aqui existem grupos bastante empenhados em não permitir que a data se popularize, alegando que se trata de uma estrangeirização que pode inclusive prejudicar a própria cultura nacional. Não digo que este deva ser um novo feriado (humm), nem que as criançãs devam sair nas ruas gritando doces ou travessuras, pois para isso já temos Cosme e Damião, mas dizer que é uma festa americana é no mínimo demonstrar total desconhecimento histórico. Ligar uma noite do calendário com forças ocultas é mais ridículo ainda.

Soltar as bruxas deve ser um direito individual, questão de escolha e que neste caso ainda pode gerar umas festas bem interessantes…

halloween_1

A noiva

Publicado: 15/08/2009 em Conto
Tags:, , ,

Hoje penso como podia ser aquilo, quem foi o maluco que permitiu, mas o fato é que a escola dividia o muro com o principal cemitério público da cidade, não com um daqueles bonitos cemitérios particulares, com jazigos permanentes de mármore e imponentes mausoléus que os ricos constroem para demonstrar sua grandeza mesmo após baterem as botas.

Era um daqueles cemitérios construídos morro acima, com covas abertas diretamente na terra vermelha, cruzes de madeira identificando que havia ali alguém sepultado, árvores decadentes de longos galhos retorcidos, gavetas entreabertas que jurava eu poder ver com meus olhos de criança os restos de algum finado defunto.

Era um espaço que servia a dois objetivos claros, para os mais velhos era a rota de fuga para cabular aulas, que iria perseguir marmanjos cemitério adentro? Mas para os pequeninos era uma fonte inesgotável de histórias macabras que causavam calafrios a cada nova geração que naquele colégio adentrava.

A mais curiosa era da mulher de algodão, diziam os mais velhos, ano após ano, que a noiva, de pele branca como a neve fora ali enterrada em sono profundo mas ainda viva por um noivo não tão amoroso, ao cair da escura noite ela consegue se levantar de seu jazigo ainda com todos curativos de esparadrapo e algodão com que os mortos eram tratados e se dá conta do ocorrido, caindo em uma tristeza imensa.

Tamanha tristeza que a já a esta altura decadente e desfigurada noiva (ninguém jamais explicou o porquê do decadente e desfigurada), decidiu se retirar em sua vergonha para um dos banheiros da escola ao lado e desde então de vestido branco e muito algodão por todos os lados afasta quem ali se atreve a entrar.

Hoje sei que é uma história fajuta, cheia de buracos e inconsistências, mas em uma das peças que a mente prega reside um dos meus piores pesadelos, daqueles que teimam em se repetir vez por outra em noites mal dormidas, onde me vejo novamente naqueles corredores indo em direção ao nefasto banheiro, onde dizem estar até hoje a noiva amargurada… Credo.