Arquivo da categoria ‘A semana Flamenga’

Feliz da torcida que nunca desiste, que não sai do estádio antes que soe o apito final, que grita, empurra e acredita até o fim.

Deve ser a imagem mais repetida na internet hoje.

Há exatos 10 anos a maior do mundo, a magnética, a nação viveu um momentos daqueles que merecem um lugarzinho especial entre as muitas memorias gloriosas que o MAIS QUERIDO proporciona a seus apaixonados torcedores. Hoje é dia de comemorarmos 10 anos do inesquecivel gol de PETKOVIC em cima dos viceínos tremendamente mal vestidos.

Até hoje os felizes Rubro-Negros que acompanharam aquele histórico dia sem lembram emocionados daquela falta lá do meio da rua, aso 43 minutos do segundo tempo, que sepultou as esperaçãs do maior rival de comemorar algo em cima dos urubus e principalmente: MARCOU A CONQUISTA DO QUARTO TRICAMPEONATO CARIOCA do MENGÂO!

E esse é o FLAMENGO, mais uma vez contrariando toda a lógica, derrubando qualquer prognóstico e inclusive contrariando a lógica financeira que implorava pelo Mais Querido em uma final, com dois jogos de estádio lotado para acalantar os combalidos cofres da federação carioca de futebol e pingar alguns caraminguás nos puídos bolsos do convidado de honra em uma virtual finalissíma de campeonato.

Contra o time de balé das Laranjeiras foi apenas mais uma demosntração clara de que não é possível escapar do destino e o destino Rubro-Negro é vencer incessantemente seus rivais fregueses distritais, mesmo em uma semana em que a mídia sempre ávida por um burcurinho que venda mais jornais procurou deseperadamente um factóide que colocasse o FLAMENGO sem a condição de favorito em um jogo decisivo, ora pois qualquer pessoa que tenha nascido nos últimos dois séculos sabe muito bem que futebol é um esporte onde na decisão sempre dá FLAMENGO.

Pobres e decadentes Flores que em seus devaneios de uma grandeza que ficou no passado, acreditaram que somente com futebol, arbitragem ruim e uma camisa esquisitona poderiam fazer frente ao destino. Se esquecem que em suas parcas vitórias sempre tiveram que contar com algo estranho ao normal, o famoso Sobrenatural de Almeida por vezes dá as caras nos gramados para conferir alguma emoção ao esporte bretão, quando ele não surge o resultado “normalmente é o normal”, como foi ontem.

Agora não tem mais jeito, contra o mais fiel dos fregueses no próximo domingo o Flamengo tem marcado mais um encontro com seu destino vitorioso,  e no fundo as hostes cruz-maltinas já sabem que a chance de comemorarem uma conquista de turno se esvaiu ontem quando o derradeiro penalti foi cobrado selando o destino do Campeonato Carioca de 2011.

Sempre FLAMENGO.

Quer dizer que a CBF resolveu demonstrar um pocuco de lucidez e reconhecer o óbvio título nacional do Flamengo conquistado em 1987 dentro do campo contra todos os grandes e alguns médios do futebol brasileiro.

Falar que o Sport foi o vencedor do campeonato de futebol mais importante do país naquele ano é e sempre foi de uma inocência risivel, coisa que só fala quem tem interesse excuso em divulgar tal epifânia. Podem até dizer que ele divide conosco o título daquele ano, isso em nada nos diminui, apenas engrandece uma dos nanicos do futebol brasileiro.

Quanto a CBF, mais uma vez pátética, como foi durante mais de vinte anos enquanto a pendenga se arrastou entre traíragens e argumentos vazios, agora reconhece o que todo mundo já sabia justamente na semana em que entregou a famigerada taça das bolinhas para o SPFC e seus diregentes de caráter duvidoso, podia ser evitado né dona CBF.

Se gritar Pega Ladrão...

Acaba que este assunto esvaziou ainda mais a já degastada zoação sobre os pobres  e mal vestidos botafoguenses, que mais uma vez se entregaram em decúbito para a força Flamenga que não se cansa de subjugar seus pequenos “rivais” municipais. Agora é foco para enfrentar o pequeno mas ao menos valoroso Boa Vista na busca da primeira taça de 2011 porque correr atrás de taça velha para nós é um passatempo que temos nos poucos momento em que não estamos colecionando novas espécimes para nossa abarrotada sala de troféus.

Chegou o dia, Ronaldinho Gaúcho vai estrear com a camisa 10 do Mais Querido, sob os olhares de milhares de Rubros Negros por todo o país, que a mística da camisa se misture à arte do jogador. Vamos Flamengo!

Arrebenta garoto

Sim Ronaldinho Gaúcho é do Flamengo, uma contratação inequivocadamente grandiosa do Mais Querido, pelas cifras envolvidas, pela exposição midiática, pela concorrência de outros clubes, pela importância enorme que RG10 ainda tem no futebol mundial mas principalmente por resgatar algo que aparentemente faltou no terrivel ano de 2010 Rubro-Negro, um sentimento de grandeza que deveria acompanhar obrigatoriamente todo pensamento que se relacione ao Clube de Regatas Flamengo.

O Flamengo agora possui dois desafios para superar, o primeiro será conseguir manter o jogador mais dentro dos gramados do que em churrascarias e pagodes, missão que se anuncia difícil, no último mês se falou de RG10 em todas as baladas mas nunca se falou que o mesmo tivesse dado uma mísera corridinha na praia, não é segredo que Ronadinho com a bola nos pés faz a diferença, como também não é segredo que a forma física do jogador não anda lá essas coisa nas últimas temporadas.

O segundo desafio é a montagem de um time não apenas forte no papel mas também em campo, começando por uma mudança na própria caracteristica de jogo que deixa de ser fortemente apoiado nas laterais para passar a ser controlado pelos jogadores de meio. Com a iminente contratação também de Thiago Neves o flamengo passar a ter dois meias legitimos, algo que não se via há um bom tempo na Gávea.

Ainda sinto a falta de um zagueiro de “griffe”, para formar com Wellington ou David Brás a zaga central do Fuderosão, com todo respeito mas não vejo Ronaldo Angelim com condições de continuar como titular de nossa defesa, assim como soa como temerária a opção por  Egídio na lateral esquerda, em meu pensamento forçaria até mesmo o Renato “canhão” Abreu por ali.

Para finalizar gostaria muito de dar os parabéns a alguem que apanhou (algumas vezes com razão) muito no ano passado devido ao péssimo rendimento Rubro Negro nos gramados e muitas (e eternas) confusões nos bastidores, mas que deu uma aula de condução na contratação de Ronaldinho Gaúcho, Parabéns Patrícia.

Olhando para o futuro somente Bruno sabe onde estará em 2011.

Terminou, já não via a hora de terminar este ano sabático do Mais Querido, um ano que em nenhum momento time e torcida fizeram mais que participar de forma discreta do cenário futebolistico nacional.

É hora da torcida reservar sua energia, pois ela será muito necessára em 2011 para incendiar o ânimo dos ogadores que passaram todo o ano de 2010 com o freio de mão puxado. Hora da diretoria realizar uma reformulação racional no elenco, não adianta nada fazer uma desvairada caça as bruxas somente para reforçar a preço de banana os times rivais.

Casos de Juan e Willians, o primeiro porque aparentemente não enverga o manto com tanta disposição, o segundo porque o professor não gosta muito do estilo de jogo toma-la dá-cá do volante, mas em ambos os casos entregar de mão lavada para a concorrência é assinar atestado de burrice, e embora volante chovam por aí encontrar um lateral esquerdo seria uma tarefa hercúlea no atual cenário.

Acho que é hora de agradecer muito pelos serviços prestados e aposentar Angelim e Pet, racionalmente falando não faz sentido contar os dois no elenco, eles podiam inclusive dar uma carona para o Val Baiano. Serão necessários um goleiro e um zagueiro de “griffe” experimentados, estamos bem de volantes mas um verdadeiro camisa 10 seria muito bem vindo, no ataque ou vem “O CARA” ou é melhor nem se dar ao trabalho de procurar (Forlán? acho que é só um devaneio).

É mais ou menos por aí, vamos aguardar as tenebrosas notícias que protocolarmente vem lá dos lados da Gávea e esperar que em 2011 o Mengão retome sua posição preponderante no futebol nacional.

Deixo os parabéns para os torcedores da Unimed FC o time que há mais queima dinheiro no cenário nacional há pelo menos uma década, já era hora de mostrar algum resultado para animar sua esquisitona torcida. E ninguém melhor que Jô Soares para homenagear esta colorida torcida:

E a frase imortalizada na canção de Cazuza é uma grande verdade, em qualquer linha de interpretação que se tome,  tempo não pára para vivermos a justa indignação pela forma com que Zico se retirou do clube onde sempre será o maior ídolo, não pára enquanto tentamos entender  como um capitão Léo da vida consegue o poder suficiente para escorraçar porta afora o Galinho, não pára de forma a nos permitir como a presidente Patrícia de palavras tão enérgicas começa a sucumbir perante a doente política RubroNegra.

Não pára para nos despedirmos com esfuziante alegria de Silas, que na verdade nem era para ter vindo, nunca teve cara muito menos pele RubroNegra e ainda sem um currículo que o credenciasse a estar no comando do Mais Querido, pelo menos vai poder dizer aos netos que conseguiu uma vitória no comando do Mengão.

O tempo não pára nem para escolhermos um treinador, o tempo urge e o campeonato está rufando. Luxa é a melhor opção? Não sei, é caro demais e já mostrou que se dá melhor em clubes “bem estruturados (as vezes)”, mas para o tamanho do Flamengo era quem estava disponível, e prefiro apostar no Luxa que morre abraçadao com um Silas da vida, Flamengo tem que pensar grande, de acordo com sua própria grandeza e nese quesito nosso novo treinador se encaixa perfeitamente, se vai dar certo? Talvez em 2011, neste tenebroso 2010 acho que devemos terminar o ano bem, longe da zona da degola.

O maior do maior.

A caravana passa, mas que naquela sexta-feira, 1º de outubro de 2010 o manto acordou um tanto quanto desbotado isso eu ainda não consegui negar. Com Zico pelo Flamengo.