Logo Rio 2016, é plágio ou não é?

Publicado: 04/01/2011 em Opinião
Tags:,

Depende,  mas nunca entre os logos dos Jogos Olímpicos cariocas e o logo da fundação Telluride, se existe plágio ele se usa do quadro A Dança (La Danse), aliás dois quadros pintados entre 1909 e 1910, do pintor francês Henri Matisse.

Muito embora para um público leigo o olhar de duas formas parecidas remeta imediatamente a palavra plágio , eu prefiro dizer que a obra de Matisse é uma inspiração, para ambos os logos, não se sabe até que ponto ainda iremos evoluir em meios de representação gráfica, mas é certo que muitas das soluções já estão por aí e já foram utilizadas uma ou outra vez em algum canto do mundo.

Então como definir o que é plágio e o que é inspiração? Infelizmente a resposta para isto está justamente naquilo que um simples olhar não revela, a resposta está na pesquisa, no desenvolvimento, no amadurecimento da idéia que se deseja retratar de forma gráfica. Nesse ponto acho uma solução bastante feliz a encontrada pela equipe da Tátil, onde vemos os já batidos sol, mar e montanha (esperava o que? flocos de neve?) juntamente com uma idéia de união muito bem representada.

Anúncios
comentários
  1. Erika disse:

    Concordo com vc em todos os pontos. Pra mim essa polêmica toda é coisa de quem está com inveja pelo belo trabalho da equipe da Tátil. A proposta é mais que um ícone e logotipo, é uma marca, cheia de significados e muito bem articulada em sua defesa.

    Mais que inspiração, Matisse é referência, design busca referência a todo momento.

    Se isso é plágio, posso levantar mas pelo menos 6 casos, já trazidos em publicações inclusive de marcas muito semelhantes.