Sonhar não custa nada

Publicado: 18/12/2009 em Carnaval, Mocidade Independente
Tags:,

Sonhar não custa nada
O meu sonho é tão real
Mergulhei nessa magia
Era tudo que eu queria
Para ese carnaval
Deixe a sua mente vagar
Não custa nada sonhar
Viajar nos braços do infinito
Onde tudo é mais bonito
Nesse mundo de ilusão
Transformar o sonho em realidade
E sonhar com a mocidade
E sonhar com o pé no chão

Estrela de luz
Que me conduz
Estrela que me faz sonhar

Amor, sonhe com os anjos (não se paga)
Não se paga pra sonhar
Eu sou a noite mais bela
Que encanta o teu sonho
Te alucina por te amar (amar, amar)
Vem nas estrelas do Céu
Vem na lua de mel
Vem me querer

Delírio sensual
Arco-íris de prazer
Amor, eu vou te anoitecer

Eu vejo a lua no céu
A mocidade a sorrir
De verde-e-branco na sapucaí

Foi com esse enredo que em 1992 a Verde e Branco de Padre Miguel entrou na avenida cercada de expectativa após anos de execelente deslifes e defendendo o título do carnaval anterior. Com nosso maior carnavalesco Renato Lage e Paulinho Mocidade em seu auge, a escola foi novamente brilhante levantando mais uma vez a Marquês de Sapucaí, ficando com a segunda colocação naquele ano.

Um desfile sobre sonho, ilusão, imaginação. Me deslumbrava menino em frente a TV com o mundo mágico apresentado pela Estrela Guia, astronautas, seres marinhos, brinquedos, robôs, um mundo de faz de conta onde tudo era possível, pois naquela noite sonhar com a Mocidade tornava tudo possível. Uma mensagem que as escolas teimam em não mais passar, a mensagem da alegria infantil, inocente e desprovida de amarras que podam as asas de nossos sonhos nos fazendo cair na cinza realidade.

Vamos lá a hora é eeessaaa!!!

Os comentários estão desativados.